Páginas

sábado, 24 de setembro de 2016

O zunido de um sopro sob a folha




25/04/2015


Eu tenho uma memória, e isso não afirmo. Tenho muitas vidas, e não existo. Pode haver, ou há, ou não?


Não apenas repete-se, não apenas é assimilado, não apenas parece-se. É além, com mensagens e significados, e leis e ilusões com realidades, onde das escolhas você escolhe todas e apesar de não ser apenas isso, apenas acontece.


Sempre estive lá, com essas mãos. Eu posso ver o futuro, e não é apenas uma mensagem, e não só estive lá, mas eu era o que sou e sou o que era. O poder da mensagem ao passado, é acreditar em um presente futuro (“previsto”¹ ), e apenas acontece, ainda que não precise existir para isso.


“Nos veremos de novo, sempre nos vimos, não esqueça. Até logo!


Nota: “Previsto” 1 - Charada do contexto com o fim de não haver uma diferenciação de um fundo, diferenciando suas máscaras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário